Dilma derrota oposição mais uma vez

Ao endossar o recurso sobre a decisão da seção do Senado Federal, de 31/08/2016, que impediu o mandato, mas não destitui os direitos políticos da presidenta Dilma Roussef, a oposição acusa mais uma derrota e, de certa forma, denuncia que tudo não passou de um golpe parlamentar. A sanha golpista, ao aceitar o Supremo Tribunal Federal, STF, como instância competente para anular decisões  do poder legislativo, reconhece e passa recibo de que caberá ao STF  não só a possibilidade de anular o desmembramento, como também acolher a denúncia encaminhada pela defesa de Dilma Roussef e anular todo o processo.

Derrotados nas urnas, nas eleições de 2014, agora novamente são derrotados pela força de caráter e pela integridade demonstrada por Dilma Roussef. Parece que, em suas intenções conspiradoras, não contavam com a forma intransigente e coerente  com qual a presidenta tem levado a efeito sua defesa.

Contavam, por sua visão misógina, com que Dilma, por ser mulher, ficasse fragilizada, derretesse ou mesmo, como afirmou em janeiro de 2015 o candidato a vice-presidente da chapa derrotada em 2014, sangrasse e definhasse. Perderam.

Também não surtiram efeito as pressões por uma renúncia ou mesmo o absurdo de um suicídio. Para espanto dos conspiradores, como foi visto à larga, isso não aconteceu. Novamente são derrotados.

Acostumados que estavam com suas tratativas subterrâneas, não queriam que o impeachment chegasse ao final.  Não conseguiram entender que diante deles estava uma pessoa diferente e com força de caráter para além do que lhes era ainda conhecido. Perderam de novo.

Sóbria e determinada a presidenta Dilma não só denunciou, desde o início, as intenções nefastas que orbitavam as ações de seus opositores, como o fez de maneira  incansável, trazendo à tona o conluio de forças reacionárias que agora fere fatalmente o regime democrático e atropela um projeto de país que, de acordo com os resultados das últimas quatro eleições, ainda é a opção da maioria da sociedade brasileira.

Todos esses últimos eventos mostraram também que a lucidez e o espírito público que sobram em Dilma Roussef são extremamente rasos em seus inimigos e algozes. Travestidos de nacionalistas, reformistas e liberais escondem por baixo de  suas carcaças almas servis aos interesses coloniais estrangeiros, um caráter profundamente conservador repleto de preconceitos. Retrógrados,  racistas, machistas e misóginos só se reconhecem uns nos outros.

É evidente que, nessa turba, o limite dos interesses coletivos não consegue ultrapassar as fronteiras dos próprios umbigos. Querem um país para si, um país intolerante branco e chauvinista. Querem prisões e não escolas. Querem escravos dóceis e submissos. Querem novamente praticar sua filantropia com as sobras de suas mesas.

Fotos © http://www.dilma.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s